MUDAR AS COISAS

Quando é necessário mudar o estado das coisas tal qual elas estão postas? A partir de qual acontecimento o fazemos? Guiado por essas questões, este episódio narra a trajetória de ativismo de Raphael Martinelli, nascido em 1924 em São Paulo e que nos deixou um anos após nossas filmagens, em 2019. Martinelli foi dirigente da Federação dos Ferroviários e um dos mais importantes lideres sindicais quando, em 1964, ano do golpe militar brasileiro, foi cassado por dez anos, impedido de trabalhar. Junto com Carlos Marighella, foi um dos fundadores da Ação Libertadora Nacional. Vivia o terror enquanto e se correspondia com a filha Rosa Maria, então com 8 anos de idade. A correspondência entre os dois marca o episódio, situado, também, em temas como organização social e sindicalismo, vida escolar e infância sitiada.

COM RAPHAEL MARTINELLI (IN MEMORIAM) E ROSA MARIA MARTINELLI

SONHOS COMUNS

Telma, Denise e Adilson Lucena viram o seu pai, Antônio Raymundo de Lucena, ser morto à queima roupa, em sua casa, pela polícia do regime militar. Raymundo nasceu na pequena cidade de Colina, no Maranhão, e veio para São Paulo em 1950, em um caminhão pau-de-arara, ao lado de sua esposa, Damaris. Ambos trabalhavam em chão de fábrica. Damaris e filhos, sobreviventes, exilaram-se em Cuba. Lá, Damaris conheceu Soledad Barret Viedma e José Maria de Araújo. Ela, paraguaia, e ele, brasileiro. Ambos exilados em Cuba. Os dois deixaram aos cuidados de Damaris a pequena Ñasaindy. 

COM DAMARIS LUCENA, IN MEMORIAM
COM TELMA E ADILSON LUCENA
COM ÑASAINDY BARRET VIEDMA

O BOOMERANG DA
MEMÓRIA

Contar histórias para acomodá-las dentro de nós. A ideia de “lembrar para esquecer” permeia este episódio, que tem como narradoras Ângela (Titina) e Maria Marquardt. Titina militou ao lado dos irmãos Nora Lia e Alberto contra a ditadura militar argentina. Embora os três tenham crescido em Rosário, Nora Lia morava em Córdoba, e atuava no Partido Revolucionário dos Trabalhadores (PRT). Chegou a ser sargento, um grau importante do Exército Revolucionario Del Pueblo (ERP), o lado armado do PRT. Alberto e Titina atuavam em Rosário, no Grupo de Izquierda de Acción Revolucionaria (Giar). Nora Lia deixou uma filha: Maria, que foi criada por Titina e ninada por cantos de gaivotas enviados pelo seu pai, Roberto então preso em Rawnson, no sul da Argentina.

ÂNGELA MARQUARDT
MARIA BARDACH

UM ATO PARA
MEXER O
UNIVERSO

Álvaro Tukano nos conta como a movimento indígena se articulou para criação do chamado Capítulo dos Índios na Constituição de 1988. Sua narrativa permeia as histórias de Áurea e Vinícius da aldeia Pyau, Terra Indígena Jaraguá, em São Paulo. Em uma visita ao pajé José Fernandes, lideranças e crianças cantam à vida. Neste episódio, a palavra “índio “é desconstruída por Áurea e Vinícius, ao passo que a palavra “indígena” ganha força. Mitos e brincadeiras indígenas são revisitados como maneira de se defender do inimigo.

COM ÁLVARO TUKANO
COM JOSÉ FERNANDES GUARANI, IN MEMORIAM
TEKOA PYAU, TERRA INDÍGENA JARAGUÁ